O desafio do Barão sem Frejat

Grupo comunica sua volta sem seu mais notório integrante. O que vai acontecer?


Uma notícia criou rebuliço no mundo do rock neste princípio de ano. O que já estava sendo comentado nos bastidores finalmente foi divulgado. O Barão Vermelho vai voltar, mas não como era antes. O vocalista, guitarrista e co-autor das músicas de maior sucesso da banda, Roberto Frejat, não faz mais parte do grupo oficialmente e será um grande desafio para o Barão conseguir superar a sua ausência.

“É uma tremenda injustiça, mas quase sempre o vocalista se torna a principal referência de uma banda pelo fato de caber a ele a tarefa de interagir com o público. O peso fica ainda maior quando ele também é o principal compositor. Esse é o caso do Barão” diz Marcelo Reis, fundador do Rio Rock & Blues Club, referindo-se ao peso de Roberto Frejat no Barão Vermelho.

A banda criada por Guto Goffi e Maurício Barros no início da década de 80 já havia enfrentado o desafio de continuar sem o carismático Cazuza, e conseguiu, pois havia Roberto Frejat, que junto com Cazuza, assinaram as principais músicas da primeira fase da banda e que são seus maiores sucessos até hoje. Então, quando Cazuza saiu, havia Frejat para continuar.

Agora, o desafio para os remanescentes parece ser maior. Sem Frejat, a banda volta sem seus mais notório integrante e compositor. Apesar de todos comporem músicas, Frejat assinou os maiores sucessos da banda, seja na parceria com Cazuza, ou com outros músicos.

A tarefa de substituir Frejat caberá a Rodrigo Suricato. Mas, quem é Rodrigo Suricato? Para os fãs mais velhos do Barão, Suricato é quase um desconhecido. Ele montou sua banda em 2009 e ficou famoso ao participar do programa Superstar da Globo. Suricato é um músico talentoso e versátil, mas os fãs do Barão vão sentir falta da pegada “Stones” que Frejat sempre conferiu à banda, que se caracterizou por tocar um rock visceral e mais clássico.

A volta do Barão foi anunciada para maio e é a principal notícia do mundo do rock nesse início de 2017, mas promete gerar muita polêmica e discussão, da mesma forma que foi o retorno da Legião Urbana sem Renato Russo.

Poucas pessoas têm acesso aos contratos firmados com gravadoras e acordos entre os músicos, mas o nome Barão Vermelho parece ter donos, e eles se chamam Guto Goffi e Maurício Barros. Com certeza, todas as negociações devem ter sido complicadas. A saída de Cazuza foi fácil. Ele simplesmente disse que ia sair e pronto! Frejat precisou apenas assumir a tarefa de se tornar o vocal principal. Ao longo do tempo, a banda foi mudando sua formação. Entraram Rodrigo Santos no baixo e Fernando Magalhães na guitarra, mas Frejat continuou sendo a âncora do grupo até as “férias” da banda serem anunciadas.

Essas “férias” sempre foram uma história obscura. Muitas bandas entram de “férias” quando seus integrantes decidem priorizar suas carreiras solo e esse foi o desejo de Frejat. Apesar de não declararem abertamente, os demais integrantes sempre se mostraram um pouco tristes com essas “férias” forçadas e, com certeza, deve ter acontecido muita conversa até que Frejat finalmente decidisse oficializar seu desligamento da banda e deixar os demais membros livres para retomarem o grupo com um novo integrante!

Agora é esperar para ver. O que todos desejam é ver material novo e que o Barão não se torne um “cover” de si próprio. Suricato é talentoso, Rodrigo Santos também é um grande compositor com uma carreira solo consolidada. Tomara que a volta não seja apenas uma proposta caça-níquel para faturar com uma turnê de shows e nada acontecer depois. Se o Barão realmente voltar a produzir de verdade, os fãs do rock irão agradecer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *