Um clássico dos anos 80 finalmente em formato digital

Primeiro disco do Nenhum de Nós é disponibilizado nas plataformas digitais


Em 25 de setembro de 1990, quando David Bowie cantou no Olympia, em São Paulo, no show mais exclusivo de sua primeira visita ao Brasil (os outros foram para multidões, na Praça da Apoteose, no Rio, e no Estádio Palestra Itália, em São Paulo), introduziu “Starman” sem precisar dizer o nome: “Esta é uma música que vocês já conhecem em português”. “O Astronauta de Mármore”, versão feita e gravada por um grupo com menos de três anos de estrada, o Nenhum de Nós, tinha sido a canção mais tocada no Brasil em 1989. A letra em português, que tomava liberdades criativas, sem se ater à literalidade, recebera aprovação do próprio Bowie. Foi apenas uma das façanhas da banda gaúcha no começo de sua invejável jornada que completou 30 anos em outubro de 2016.

Eles começaram sem pedir licença, furando a fila do sucesso entre formações com mais experiência e mais imprensa. Logo no disco de estreia, “Nenhum de Nós” (lançado em setembro de 1987), emplacaram o megahit “Camila, Camila”, que se tornaria um clássico do pop oitentista (regravado por Cazuza e Biquíni Cavadão, entre outros). Hoje, somando 15 álbuns de carreira, seguem sua invejável travessia pelo terreno acidentado do rock brasileiro com público fiel e forte identidade, renovada década após década com a exploração de novos territórios musicais, influências e parceiros (entre eles, ídolos inspiradores como Herbert Vianna e o argentino Fito Páez).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *