Entrevista com Bruno Mello do State of Blues

O vocalista da banda que tocará na abertura do 3º Rio Rock & Blues Festival 2018, conversa com a gente.


Rio Rock & Blues Club Magazine – Como surgiu a idéia de se formar uma banda dedicada ao blues, na cidade do samba?

Bruno MelloO Blues é a raiz de uma séria de estilos musicais como o Rock, o Jazz, o Soul, R&B ….. Gostamos muito de todos eles. Além disso, o Rio tem uma cena Blues bem interessante com nomes de grande projeção no Brasil e mesmo fora dele como Big Gilson, Blues Etilico, Big Allambik, Baseado em Blues, Beale Street, Jefferson Gonçalves … entre muitos outros … Quisemos entrar nesse circuito e tentar fazer algo um pouco diferente sem fugir demais do estilo.

RRBCM – Pelo fato de ter um formato tradicional, como fazer para tornar o blues atrativo nos dias de hoje?

BM Como uma banda de Blues não podemos fugir de fazer grandes clássicos. No entanto, Grandes artistas contemporâneos evoluíram misturando elementos de outros estilos. Fazemos um trabalho de pesquisa constante onde buscamos músicas e artistas menos conhecidos mas com grande qualidade musical. Pode ser uma melodia especial, um groove diferente ou qualquer coisa que mexa com a gente. Desta forma vamos montado um repertório interessante com músicas desconhecidas até mesmo do público tradicional de blues e rock. 3 – Procuramos deixar o ego fora do palco e do estúdio .. Somos todos amigos de longa data mas, tenho que confessar, isso não impede alguns desentendimentos .. mas nada que uma cerveja, um copo de whisky ou um show bem feito não resolva. Todos palpitam sobre arranjo mas o Andre Donha (guitarrista) normalmente coordena o processo. Sobre repertório, temos uma playlist compartilhada no spotify em que todos adicionam sugestões. Depois de escutar juntos, decidimos o que tocar. Até hoje funcionou bem. Em 2018 queremos dar uma grande renovada no repertório. Vamos ver se vai continuar a funcionar. Risos …

RRBCM – Quais as influências mais significativas entre os mestres do blues?

BMDe blues tradicional as influências são as obvias: BB King, Robert Johnson etc..na verdade só de vez em quando vamos beber lá na fonte original .. Curtimos muito escutar as coisas que vieram depois .. Bernard Alisson, Bonamassa, Robben Ford, tudo o que o Clapton refez, Robert Cray, Derek Trucks… tanta coisa …

RRBCM – Você, particularmente, tem uma experiência de palco com algumas bandas do rock brasileiro do anos 70, como Made in Brazil e Patrulha do Espaço. Existe alguma conexão entre o som que fazia com eles e o que faz a State of Blues?

BMNa verdade meu contato com essas bandas foi com antigos membros. Tive a sorte de conhecer uma turma da pesada e ter uma convivência musical inesquecível pra mim. Kim Kehl (Made In Brazil e Lírio de Vidro), Luiz Domingues (Patrulha do Espaço), Big Gilson (Big Allambik), BomBom (Ed Motta) e até Victor Biglione, com quem tive a sorte de participar de várias Jam Sessions. O primeiro ponto a destacar é que, como eu, são todos apaixonados por música e, assim, já rola uma afinidade. O segundo ponto é que, apesar do estilo das bandas importantes das quais fizeram parte, vale qualquer coisa desde que seja bom. Assim, nas jams que fiz com todos eles, rolava o que desse vontade na hora. A gente ficava se provocando pra tocar coisas até inusitadas .. e a energia que fluía era sensacional. Essa energia é a mesma na State of Blues. O que queremos é contagiar nosso público, fazer o pessoal embarcar numa viagem musical com a gente …

RRBCM – Qual a expectativa de abrirem o 3º Rio Rock & Blues Festival?

BMJá era pra termos tocado ano passado mas não tivemos agenda. Nossa expectativa é, obviamente, fazer um belo show numa casa que procura manter vivo o espírito do Blues e do Rock e que ajudemos a consolidar esse festival como ponto importante do calendário musical da cidade. Adoraria ver a casa cheia todos os dias e ver o pessoal prestigiando a música ao vivo, numa época em que tanta coisa estranha martela nossos ouvidos constantemente. Convido a todos os amantes da boa música a prestigiar o festival e vis conferir o som da State of Blues.

O States of Blues se apresenta no dia 27 de janeiro, na abertura do 3º Rio Rock & Blues Festival 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *